Em virtude dos eventos climáticos que aconteceram recentemente nos estados das regiões Nordeste, Sul e Sudeste, muitos brasileiros perderam bens de alto valor. Residências, lojas e automóveis costumam ser os bens mais preciosos e de maior desejo dos brasileiros. Por isso, em caso de intempéries climáticas, em que o segurado pode perder bens tão estimados, corretores de seguros e clientes devem estar atentos às coberturas oferecidas.

A Bradesco Seguros oferece seguros para automóveis, empresas e residências e, para os três produtos, há coberturas para sinistros ocasionados por chuvas, enchentes e vendavais. Para o Seguro Auto, o segurado tem garantia plena em casos de intempéries, como chuva, vento ou queda de árvore sobre o veículo. Essas são as coberturas básicas.

Já para os Seguros Residenciais e Empresariais, a cobertura básica inclui proteção contra incêndio, queda de raio e explosão. No entanto, é possível proteger o imóvel de outros riscos, como desmoronamento, vendaval, furacão, ciclone, chuva de granizo, danos elétricos e outros serviços realizando a contratação conforme a necessidade de cada bem.

O superintendente executivo da Bradesco Seguros, Rodrigo Herzog, destaca a importância do seguro, especialmente aquele que protege a moradia. “Apesar da frequência ser menor, se compararmos aos sinistros de automóveis, a severidade de uma inundação em casa, muitas vezes, pode ser muito maior. O gasto com recuperação ou limpeza de um imóvel destruído é alto para quem não tem seguro”, afirma o executivo, que ressalta o preço do seguro pode ser quase que irrisório quando comparado ao valor do imóvel. “É uma relação custo x benefício extremamente positiva para o segurado, se pensarmos que ele está protegendo um bem de valor tão expressivo”, completa.

Em casos de alta demanda de chamados emergenciais dos segurados, como é o caso quando há período de fortes chuvas, a Bradesco Seguros promove Planos de Contingência e a Operação Emergencial de Tratamento de Sinistros, desenvolvida para quantificar e indenizar segurados envolvidos em tragédias naturais no menor prazo possível. “Esta mobilização, em caráter especial, é estendida até a normalização do número de sinistros na região atingida. Para manter o nível do serviço oferecido aos segurados, mesmo em um período de adversidade, reforçamos o contingente interno para dar suporte ao aumento na demanda, a fim de agilizar o processo de indenização. Neste ano, já foram desembolsados mais de R$ 37,4 milhões para segurados”, explica Herzog.

N.F.
Revista Apólice

The post Chuvas, enchentes e vendavais: O que o corretor e o segurado precisam saber appeared first on Revista Apólice.